Menos Médicos: Povo brasileiro lamenta a retirada de médicos cubanos

Indignado com a autoritária e deformada postura ideológica de seu futuro presidente, o ultradireitista Jair Bolsonaro, o povo brasileiro lamenta a saída dos profissionais cubanos do Programa Mais Médicos.

"Ainda não o temos como presidente (Bolsonaro) e já desprotege e deve a este povo oito mil médicos", declarou a Prensa Latina o arquiteto Manoel Rocha, aludindo à retirada dessa quantidade de médicos cubanos por causa das desdenhosas e ofensivas declarações do governante eleito.

    

Cuba determinou a retirada de seus profissionais do Programa Mais Médicos porque Bolsonaro "com referências diretas, pejorativas e ameaçadoras à presença de nossos médicos, declarou e reiterou que modificará termos e condições do Programa, desrespeitando a Organização Pan-americana de Saúde e o acertado por ela com Cuba".

Em uma nota divulgada ontem, o Ministério de Saúde Pública de Cuba aponta (como causa da decisão) o fato de que o político de extrema direita "questionou a preparação de nossos médicos e condicionou sua permanência no Programa à revalidação do título e como única via a contratação individual".

Rocha, de 47 anos, lamenta que por cauda da "estupidez de um ex-militar que chegou ao poder, mas que pelo visto não gosta de seus compatriotas, se perca a oportunidade de curar pessoas que, em sua maioria, não podem pagar uma consulta médica". Não é um segredo para ninguém, reflete o urbanista, oriundo do Rio Grande do Sul, que "os médicos cubanos trabalham em zonas inóspitas e de difícil acesso, onde os médicos brasileiros não querem ir e quando eles partirem os indicadores de saúde vão piorar".

Nessa mesma linha, o especialista em saúde pública e professor aposentado Flávio Goulart disse a um diário que o Brasil não tem condições de repor os médicos que se perderão com a saída de Cuba do programa.

O presidente do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), Mauro Junqueira, estima que a retirada dos profissionais cubanos pode levar a uma a desassistência da população atendida por eles, pois os cubanos são mais da metade dos participantes do programa.

Segundo Junqueira, 24 milhões de brasileiros vivem nas áreas onde os cubanos trabalham, principalmente em lugares de difícil acesso, como reservas indígenas.

Alexandre Padilha, ministro de Saúde no Governo Dilma Rousseff (2011-2016), quando o programa foi implementado, lamentou tal situação.

Em vídeo publicado nas redes sociais, Padilha afirma que este é "um dia triste para a saúde pública e para a política exterior do Brasil".

Em consonância com o teor da nota divulgada pelas autoridades cubanas, Padilha também afirmou que a decisão é o resultado das "reiteradas agressões do presidente eleito". "A saúde pública e o povo mais pobre perdem muito hoje. Isto é o que acontece quando se põe o espírito da guerra e os interesses particulares acima das necessidades de nosso povo".

"Este é um dia muito triste para a saúde pública brasileira, provocado por uma ação impensada e conflitiva do atual presidente eleito de nosso país", reafirmou.

.

*Especial de Prensa Latina para Diálogos do Sul. Direitos Reservados

Revisão e edição: João Baptista Pimentel Neto
 

 


Sell Photos Online With PhotoStore

Novidades

19/11/2018 13:00

Mais um abuso oficial

  A prefeitura do Rio desapropriou na última o sexta-feira o terreno onde funcionava na Rocinha “De Olho no Lixo”, programa da Secretaria de Meio Ambiente estadual em parceria com Viva Rio Socioambiental e a Associação dos Supermercados do Estado do Rio. Não está claro para mim há quanto tempo...

Leia mais

—————

19/11/2018 12:24

Começa em Natal a 12ª Mostra Cinema e Direitos Humanos

  Com filmes que abordam temáticas em torno dos Direitos Humanos, a Mostra tem início nesta segunda-feira (19) e segue até o dia 23 de novembro “A Declaração Universal dos Direitos Humanos”, que em 2018 completa 70 anos, será o tema da 12ª Mostra Cinema e Direitos Humanos. Realizada nas 26...

Leia mais

—————


Foto do fato

/album/foto-do-fato/dsc-6325-jpg/

——————————


Contato

FOLHA DA CIDADE

Folha da Cidade é um jornal eletrônico periódico online do Rio Grande do Norte
Equipe: Fernando Pereira-DRT RN 154 JP(Editor, jornalista e reporter fotografico), Elias Medeiros - DRT RN 1683 JP(Jornalista e Repórter fotográfico), Adrovando Claro-DRT RN 531 RF, José Aldenir - DRT RN 90 RF e Cláudio Marques DRT RN 50 RF(Repórteres fotográficos), Charge: Téo Duarte(DRT 1343/RN). Contato: Caixa Postal 2708 - Natal - RN - 59025-971 - Brasil.
Material enviado por colaboradores, assessorias de imprensas e coletado de órgãos de imprensa em geral. As matérias publicadas não traduzem necessariamente a posição jornalísticas da Folha da Cidade. O material pode ser reproduzido desde que respeitado integralmente as fontes.




Stock photography by Adrovando Claro de Oliveira at Alamy
Fotos para jornais, revistas, sites, portais de notícias, bloggers, livros, cami... cjwx7z
Fotos para editorial, produtos e publicidade em várias categorias. - Natal, Rio ... cjwx7z